terça-feira, 28 de agosto de 2012

Você acaba de receber um lindo vestido azul.!!!!!


Vestido Azul


   



Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma garotinha muito bonita.

Ela frequentava a escola local.

Sua mãe não tinha muito cuidado e a criança quase sempre se apresentava suja.

Suas roupas eram muito velhas e maltratadas.

O professor ficou penalizado com a situação da menina. 'como é que uma menina tão bonita,  pode vir para a escola tão mal arrumada?'.
  




Separou algum dinheiro do seu salário e, embora com dificuldade, resolveu lhe comprar um vestido novo.
   




Ela ficou linda no vestido azul.
    





Quando a mãe viu a filha naquele lindo vestido azul, sentiu que era lamentável que sua filha, vestindo aquele traje novo, fosse tão suja para a escola.

Por isso, passou a lhe dar banho todos os dias, pentear seus cabelos, cortar suas unhas.

Quando acabou a semana, o pai falou: 'mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more em um lugar como este, caindo aos pedaços?

Que tal você ajeitar a casa?
  
Nas horas vagas, eu vou dar uma pintada nas paredes, consertar a cerca e plantar um jardim.  

  
Logo mais a casa se destacava na pequena vila pela beleza das flores que enchiam o jardim, e o cuidado em todos os detalhes.

Os vizinhos ficaram envergonhados por morar em barracos feios e resolveram também arrumar as suas casas, plantar flores , usar pintura e criatividade.

Em pouco tempo o bairro estava todo transformado. 

                                                                                                                                                                                                                                                                                

















Um homem, que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente, pensou que eles bem mereciam um auxilio das autoridades.

Foi ao prefeito expor suas ideias e saiu de lá com autorização para formar uma comissão para estudar os melhoramentos que seriam necessários no bairro.

A rua de barro e lama foi substituída por asfalto e calçadas de pedra.

Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro ganhou ares de cidadania.  


 E tudo começou com um vestido azul.
  







Não era intenção daquele  professor  consertar toda a rua, nem criar um organismo que socorresse o bairro.

Ele fez o que podia, deu a sua parte.

Fez o primeiro movimento que acabou fazendo com que as outras pessoas se motivassem a lutar por melhorias.

Será que cada um de nós está fazendo a sua parte no lugar em que vive?

Por acaso somos daqueles que somente apontam os buracos da rua, as crianças à solta sem escolas e a violência do transito?

Lembramos que é difícil mudar o estado total das coisas.

Que é difícil limpar toda a rua, mas é fácil varrer a nossa calçada.

É difícil reconstruir um planeta, mas é possível dar um vestido azul.



Há moedas de amor que valem mais do que os tesouros bancários, quando endereçadas no momento próprio e com bondade.

Você acaba de receber um lindo vestido azul.!!!!!










quarta-feira, 22 de agosto de 2012

22 de Agosto dia do Folclore






Podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. Muitos deles deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.
As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.
Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.


Algumas lendas, mitos e contos folclóricos do Brasil:
Boitatá

Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Acredita-se que este mito é de origem indígena e que seja um dos primeiros do folclore brasileiro. Foram encontrados relatos do boitatá em cartas do padre jesuíta José de Anchieta, em 1560. Na região nordeste, o boitatá é conhecido como "fogo que corre".


Boto

Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto.


Curupira

Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás. Persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira.


Lobisomem

Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo nas noites de lua cheia. Nestas noites, o lobisomem ataca todos aqueles que encontra pela frente. Somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo.


Mãe-D'água

Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d'água : a sereia. Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas.


Corpo-seco

É uma espécie de assombração que fica assustando as pessoas nas estradas. Em vida, era um homem que foi muito malvado e só pensava em fazer coisas ruins, chegando a prejudicar e maltratar a própria mãe. Após sua morte, foi rejeitado pela terra e teve que viver como uma alma penada.


Pisadeira

É uma velha de chinelos que aparece nas madrugadas para pisar na barriga das pessoas, provocando a falta de ar. Dizem que costuma aparecer quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio.


Mula-sem-cabeça

Surgido na região interior, conta que uma mulher teve um romance com um padre. Como castigo, em todas as noites de quinta para sexta-feira é transformada num animal quadrúpede que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pelas narinas.


Mãe-de-ouro

Representada por uma bola de fogo que indica os locais onde se encontra jazidas de ouro. Também aparece em alguns mitos como sendo uma mulher luminosa que voa pelos ares. Em alguns locais do Brasil, toma a forma de uma mulher bonita que habita cavernas e após atrair homens casados, os faz largar suas famílias.


Saci-Pererê

O saci-pererê é representado por um menino negro que tem apenas uma perna. Sempre com seu cachimbo e com um gorro vermelho que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso. Adora espantar cavalos, queimar comida e acordar pessoas com gargalhadas.


Curiosidades:


 É comemorado com eventos e festas, no dia 22 de Agosto, aqui no Brasil, o Dia do Folclore.
- Em 2005, foi criado do Dia do Saci, que deve ser comemorado em 31 de outubro. Festas folclóricas ocorrem nesta data em homenagem a este personagem. A data, recém criada, concorre com a forte influência norte-americana em nossa cultura, representanda pela festa do Halloween - Dia das Bruxas.
- A palavra folclore é de origem inglesa. A termo "folk", em inglês, significa povo, enquanto "lore" significa cultura.
- Muitas festas populares, que ocorrem no mês de Agosto, possuem temas folclóricos como destaque e também fazem parte da cultura popular.



sábado, 11 de agosto de 2012

A B C do Paizão


                           

                                                                          Brisa Antonelli

                 
                 A C  d Paizão




 A de amigo   de bondoso    C de companheiro   D de dedicado  

 E de esforçado    F de feliz    G de grandioso     H de herói   I de inteligente

 J de justo     L de lutador     M de melhor      N de natura    O de organizador

P de paizão      Q de querido     de reservado    S de sensacional  

T de trabalhador     U de único   V de verdadeiro    X de xodó   Z de zeloso. 
                                                                                         
                                                                       
                                                         FELIZ   DIA  DOS  PAI





             

Tem... Tem pai de todo jeito.



 


Tem pai  que ama, Tem pai que se esquece do amor.
 Tem pai que adota, Tem pai que abandona. Tem pai que não sabe que é pai, Tem filho que não sabe do pai. Tem pai... Tem pai que dá amor, Tem pai que dá presente. Tem pai por amor, Tem pai por acaso. Tem pai que se preocupa com os problemas do filho, Tem pai que não sabe dos problemas do filho... Tem pai... Tem pai que ensina, Tem pai que não tem tempo. Tem pai que sofre com o sofrimento do filho, Tem pai que deixa o filho esquecido. Tem pai de todo jeito. Tem pai que encaminha o filho, Tem pai que o deixa no caminho. Tem pai que assume, Tem pai que rejeita. Tem pai que acaricia, Tem pai que não sabe onde está o filho que precisa de carinho. Tem pai que afaga, Tem pai que só pensa em negócios.

 E você? Que tipo de pai você é?

A todos os Pais, um carinhoso abraço! Deus Pai os abençoe!

                                                                                                  Feliz dia dos Pais 

segunda-feira, 25 de junho de 2012

25 de junho de 1975 proclamou"se independencia total e completa de Moçambique.




A independência de Moçambique. Foi a 25 de Junho de 1975 que Samora Moisés Machel, proclamou solenemente a independência total e completa de Moçambique, acabando pondo fim a um longo período de saque da riqueza moçambicana, de destruição da cultura e valores, de abusos, arbitrariedades e humilhações. Foram quinhentos anos de colonização portuguesa. 

Tudo aconteceu. Agora, para alem de independência nacional (é só política), o país está em paz e é exemplo quase mundial de Paz.A paz e democracia que se vivem no País são factores atractivos para investidores e turistitas pensarem em cá investirem. 

É nessa perspectiva que o distrito de Morrumbene, aqui na Província costeira de Inhambane está a preparar a conferencia distrital de Investidores a realizar se ainda este ano. Tudo veio a calhar, 25 de Junho é dia da Independência Nacional e 26 (dia seguinte) é o dia que se comemora a elevação de Morrumbene á categoria de Vila. 

Há, no entanto uma questão sobre a independência de Moçambique, talvez de muitos Países africanos. A independência é apenas política como antes disse. Continuamos presos á cultura, moeda, usos e costumes estrangeiros. A nossa identidade de moçambicanidade está quase perdida. Só se ouve musica estrangeira, comida estrangeira, produtos estrangeiros e acima de tudo, os nossos ricos valores morais e culturais estão a degradar, apesar de muitos esforços feitos no sentido de resgatá-los. 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Hoje estou eu aqui, fazendo esse agradecimento: Mesmo não postando nenhuma novidade no meu blog neste período por motivo de tempo, todos vocês continuaram visitando o blog diariamente, chegando 376 visitas no mês maio e 2012, e no dia de ontem 46 visitas 19/06/2012, e hoje já foi visitado 28 no período da manhã. 
Eu quero agradecer a todos vocês, meus queridos Amigos (as).
Agradeço de coração, por estarem sempre juntos
comigo, me dando força e incentivo.
Quero também agradecer a minha realizadora de Sonhos, minha querida professora Grácia Lopes Lima! Que Deus e os Anjos, possam sempre dar muito brilho em sua mente para poder continuar essa jornada tão linda, que é o incentivo que dar para seus alunos na criação de um blog, como você me ensinou.
Que Deus te Proteja.
Quero também agradecer a Daniela Torres pela força que me deu na criação do meu blog.
.Agradeço a Deus e aos Anjos, por estarem sempre
ao meu lado, me dando inspiração, para poder
de alguma forma, ajudar e divulgar a importância de um brinquedoteca no ambiente hospitalar.
Estou hoje muito feliz, e emocionada por
mais esse dia de comemoração...
Beijos Eternos
e
Muito obrigada a todos.







Celeste Lima

Trailer Doutores da Alegria - O filme

Trabalho Doutores da Alegria

Doutores da Alegria 11/11

quarta-feira, 13 de junho de 2012

ATIVIDADE COM MÚSICA!



ATIVIDADE COM MÚSICA!


O lúdico deve estar presente nesta fase da criança, deve ser vista, como algo prazeroso.  As cantigas fazem parte da nossa infância e é nosso dever como educadores preservá-las, incentivando nossas crianças a cantá-las, brincarem com elas. as cantigas devem fazer parte do cotidiano da no espoco da brinquedoteca.. : A música é a linguagem que se traduz em formas sonoras capazes de expressar e comunicar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio da organização e relacionamento expressivo entre o som e o silêncio. A música está presente em todas as culturas, nas mais diversas situações: festas, rituais religiosos, manifestações políticas, na afetividade entre a mãe e o bebê na hora de dormir, nas brincadeiras de rodas, na arte etc. Portanto, a música deve recebe um lugar de destaque.
 

 

Música: Meu Pintinho Amarelinho


Meu pintinho amarelinho

Cabe aqui na minha mão

Na minha mão.


Quando quer comer bichinho

Com seus pezinho ele cisca o chão



Ele bate as asas

Ele faz piu, piu

Mas tem muito medo é do gavião. 


 

Música: A Janelinha

A janelinha fecha

Quando está chovendo

A janelinha abre

Se o sol está aparecendo.


Fechou, abriu
Fechou, abriu, fechou


Abriu, fechou
Abriu, fechou, abriu.


 

Música: O Jipe

O jipe do padre
Fez um furo no pneu
O jipe do padre
Fez um furo no pneu
O jipe do padre
Fez um furo no pneu
Consertamos com chiclete.



 
Música: Sapo Cururu

Sapo Cururu
Na beira do rio
Quando o sapo grita, ó maninha!
É que esta com frio.
A mulher do sapo
É que está lá dentro
Fazendo rendinha, ó maninha!
Pro seu casamento.


 


Música: Barata

Eu vi uma barata
Na careca do vovô
Assim que ela me viu
Bateu asas e voou
Seu Joaquim, quirim quim
Da perna torta ta ta ta
Dançando conga, ga ga
Com a Maricota, ta ta. 


 

Música: Borboletinha 

Borboletinha
Tá na cozinha
Fazendo chocolate
Para a madrinha
Poti, poti
Perna de pau
Olho de vidro
E nariz de pica-pau
Pau-pau.



 


Música: Motorista

Motorista, motorista
Olha a pista
Olha a pista
Não é de salsicha
Não é de salsicha
Não é não
Não é não

Motorista, motorista
Olha o poste
Olha o poste
Não é de borracha
Não é de borracha
Não é não
Não é não.


 

Música: casinha

Fui morar numa casinha-nha
Infestada-da de cupim-pim-pim
Saiu de lá- lá- lá
Uma lagartixa-xa
Olhou pra mim
Olhou pra mim
Olhou pra mim
E fez assim:
Smack... Smack....




 
 Pirulito que bate bate
Pirulito que já bateu
Quem gosta de mim e ela
Quem gosta de mim sou eu.



 


Era uma casa muito engraçada 
Não tinha teto, não tinha nada 
Ninguém podia entrar nela não 
Porque na casa não tinha chão 
Ninguém podia dormir na rede 
Porque na casa não tinha parede 
Ninguém podia fazer pipi 
Porque penico não tinha ali 
Mas era feita com muito esmero 
Na rua dos bobos, número zero 




 

1,2,3,indiozinhos
4,5,6, indiozinhos. 
7,8,9, indiozinhos. 
10, num pequeno bote. 

Iam navegando pelo rio abaixo 
quando o jacaré se aproximou 
e o pequeno bote dos indiozinhos 
quase, quase, virou! 



 

A canoa virou, 
Deixá-la virar, 
Por causa da (nome de pessoa) 
Que não soube remar. 
Se eu fosse um peixinho 
E soubesse nadar, 
Tirava (nome da pessoa) 
Do fundo do mar. 


terça-feira, 27 de março de 2012



Comemora-se o Dia do Circo em 27 de março, numa homenagem ao palhaço brasileiro Piolin, que nasceu nessa data, no ano de 1897, na cidade de Ribeirão Preto, São Paulo.
Considerado por todos que o assistiram como um grande palhaço, se destacava pela enorme criatividade cômica e pela habilidade como ginasta e equilibrista. Seus contemporâneos diziam que ele era o pai de todos os que, de cara pintada e colarinho alto, sabiam fazer o povo rir.

 

Como surgiu o circo

É praticamente impossível determinar uma data específica de quando ou como as práticas circenses começaram. Mas pode-se apostar que elas se iniciaram na China, onde foram encontradas pinturas de 5 000 anos, com figuras de acrobatas, contorcionistas e equilibristas. Esses movimentos faziam parte dos exercícios de treinamento dos guerreiros e, aos poucos, a esses movimentos foram acrescentadas a graça e a harmonia.
Conta-se ainda que no ano 108 a.C aconteceu uma enorme celebração para dar as boas-vindas a estrangeiros recém-chegados em terras chinesas. Na festa, houve demonstrações geniais de acrobacias. A partir de então, o imperador ordenou que sempre se realizassem eventos dessa ordem. Uma vez ao ano, pelo menos.
Também no Egito, há registros de pinturas de malabaristas. Na Índia, o contorcionismo e o salto são parte integrante dos espetáculos sagrados. Na Grécia, a contorção era uma modalidade olímpica, enquanto os sátiros já faziam o povo rir, numa espécie de precursão aos palhaços.

 

No palco da história

Por volta do ano 70 a.C, surgiu o Circo Máximo de Roma, que um incêndio destruiu totalmente, causando grande comoção. Tempos depois, no ano 40 a.C, construíram no mesmo lugar o Coliseu, com capacidade para 87 mil pessoas. No local, havia apresentações de engolidores de fogo, gladiadores e espécies exóticas de animais.
Com a perseguição aos seguidores de Cristo, entre os anos 54 e 68 d.C, esses lugares passaram a ser usados para demonstrações de força: os cristãos eram lançados aos leões, para serem devorados diante do público.
Os artistas procuraram, então, as praças, feiras ou entradas de igrejas para apresentarem às pessoas seus malabarismos e mágicas.
Ainda na Europa do século XVIII, grupos de saltimbancos se exibiam na França, Espanha, Inglaterra, mostrando suas habilidades em simulações de combates e na equitação.

 

O circo moderno

A estrutura do circo como o conhecemos hoje teve sua origem em Londres, na Inglaterra. Trata-se do Astley's Amphitheatre, inaugurado em 1770, pelo oficial inglês da Cavalaria Britânica, Philip Astley.
O anfiteatro tinha um picadeiro com uma arquibancada próxima e sua atração principal era um espetáculo com cavalos. O oficial percebeu, no entanto, que só aquela atração de cunho militar não segurava o público e passou a incrementá-la com saltimbancos, equilibristas e palhaços.
O palhaço do lugar era um soldado, que entrava montado ao contrário e fazia mil peripécias. O sucesso foi tanto, que adaptaram novas situações.
Era o próprio oficial Astley quem apresentava o show, vindo daí a figura do mestre de cerimônias

 

Quando o circo chegou ao Brasil

No Brasil, a história do circo está muito ligada à trajetória dos ciganos em nossa terra, uma vez que, na Europa do século dezoito, eles eram perseguidos. Aqui, andando de cidade em cidade e mais à vontade em suas tendas, aproveitavam as festas religiosas para exibirem sua destreza com os cavalos e seu talento ilusionista.
Procuravam adaptar suas apresentações ao gosto do público de cada localidade e o que não agradava era imediatamente tirado do programa.
Mas o circo com suas características itinerantes aparece no Brasil no final do século XIX. Instalando-se nas periferias das cidades, visava às classes populares e tinha no palhaço o seu principal personagem. Do sucesso dessa figura dependia, geralmente, o sucesso do circo.
O palhaço brasileiro, por sua vez, adquiriu características próprias. Ao contrário do europeu, que se comunicava mais pela mímica, o brasileiro era falante, malandro, conquistador e possuía dons musicais: cantava ou tocava instrumentos.

 

Circo contemporâneo

Circo contemporâneo é o que se aprende na escola. Fenômeno conseqüente das mudanças de valores na sociedade e suas novas necessidades. Grande parte dos profissionais do circo mandaram seus filhos para a universidade, fazendo com que as novas gerações da lona trabalhem mais na administração.
Em fins dos anos 70, começam a aparecer as primeiras escolas de circo, no mundo inteiro. Na França, a primeira a surgir foi a Escola Nacional de Circo Annie Fratellini, em 1979, com o apoio do governo francês.
No Canadá, artistas performáticos têm aulas com ginastas e, em 1981, é criada uma escola de circo para atender à necessidade desses novos acrobatas.
Interessante lembrarmos, no entanto, que essa importância que o circo assume no mundo capitalista já era cultivada na ex-URSS, desde a década de 20. Data de 1921 a criação de uma escola de circo na União Soviética, que coloca o circo no patamar de arte, com inovação dos temas e das formas de apresentação.

 

Escolas e grupos brasileiros

No Brasil, a primeira escola de circo foi criada em São Paulo, em 1977, com o nome de Piolin (que é também o nome de um grande palhaço brasileiro). Funcionava no estádio do Pacaembu.
No Rio de Janeiro, surge em 1982 a Escola Nacional de Circo, abrindo oportunidades para jovens de todas as classes e vindos de diferentes regiões do país. Eles aprendem as novas técnicas circenses e, uma vez formados, montam seus próprios grupos ou vão trabalhar no exterior.
São muitos os grupos espalhados pelo Brasil afora. Citamos a Intrépida Trupe, os Acrobáticos Fratelli e a Nau de Ícaros.

 

Nossos palhaços

Carequinha, "o palhaço mais conhecido do Brasil" - ele mesmo se intitula assim - diz que os melhores palhaços que ele conheceu na vida foram Piolin, Arrelia e Chicarrão. Essa notoriedade de George Savalla Gomes, seu verdadeiro nome, se deve muito à TV. Comandou programas de televisão, gravou vários discos, e soube tirar dessa mídia o melhor proveito. A TV, para ele, não acabou nem vai acabar nunca com o circo. Segundo Carequinha, o circo é imortal.
"Sou contra circo que tem animais. Não gosto. O circo comum, sem animais, agrada muito mais."
Carequinha
Denominado o "Rei dos Palhaços", o senhor Abelardo Pinto morreu em 1973 e era conhecido no meio circense e no Brasil como o palhaço Piolin (era magro feito um barbante e daí a origem do apelido). Como Carequinha, Piolin trabalhou em circo desde sempre. Admirado pela intelectualidade brasileira, participou ativamente de vários movimentos artísticos, entre eles, a Semana de Arte Moderna de 1922.
"O circo não tem futuro, mas nós, ligados a ele, temos que batalhar para essa instituição não perecer"
Frase dita por Piolin, pouco antes de morrer .

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas